A Carvalho, Ribeiro & Ferreira, marca centenária de aguardentes também conhecida por CR&F, revelou alguns dos segredos de rituais à mesa com aguardente que reuniu a partir de testemunhos de ex-colaboradores históricos. A iniciativa serve para assinalar o Dia do Pai. Por isso, se o seu pai é fã de aguardente, surpreenda-o, pondo em prática estes truques.

Aquecer ou não aquecer o Cálice


Aquecer o cálice faz com que se evaporem aquelas que são as melhores características de uma boa aguardente. Ainda assim, pretendendo-se aumentar ligeiramente a temperatura da aguardente, basta aquecer um pouco o cálice com a própria mão, pois a temperatura corporal é suficiente.

Onde servir uma aguardente

O cálice-balão, com fundo largo e que estreita em cima, é a escolha mais tradicional para servir uma aguardente.
O copo formato tulipa permite concentrar os aromas das aguardentes mais velhas, para que possam ser libertos e saboreados de forma mais gradual.

Momentos de consumo


O momento mais tradicional de consumo consiste no pós-refeição, enquanto digestivo e complemento de uma boa conversa.
Como os cocktails de aguardente estão a ficar mais na moda, também o seu consumo se está naturalmente a alargar aos mais diversos momentos e ocasiões, dependendo das próprias características dos mesmos.

Falando em cocktails de aguardente

Os cocktails clássicos para começar, como por exemplo Sidecar, French Connection ou Manhattan. Mas a imaginação com uma boa aguardente portuguesa permite ir mais longe.

Harmonizar aguardentes à mesa de refeição

Existem inúmeras possibilidades de harmonização entre a comida e as aguardentes, de modo a realçar as suas notas e os seus aromas. Tal efeito pode ser alcançado, por exemplo, com carnes vermelhas maturadas ou ostras.

O caso particular das sobremesas

Uma das combinações mais icónicas para o final de uma refeição é a do consumo de aguardente com o mais amargo dos chocolates pretos, incluindo aqueles que contêm notas de nozes, florais ou frutadas. É da natureza do chocolate amargo realçar toda a complexidade da aguardente.
Há quem misture umas gotas de aguardente em certas sobremesas, como em babas-de-camelo ou mousse de chocolate, depois de servidas numa taça às quais se junta amêndoas tostadas.

Qual a melhor dose e untar ou não juntar gelo e água?

30 ml permitem tirar proveito da aguardente. A água tende a tornar a aguardente demasiado suave e o gelo “mata-a”. Em geral, o ideal é servir a aguardente em estado puro e à temperatura ambiente, i.e., entre os 18ºC e 20ºC.

*Os segredos dos rituais à mesa resultam dos testemunhos de Mário Louro – antigo Diretor-geral da CR&F com 20 de história de colaboração para contar, que todas as semanas se reunia com a equipa em Lisboa e que gosta de partilhar dicas de aguardentes com as suas duas filhas –, José Ribeiro de Carvalho – ex-Diretor-comercial na CR&F com 12 anos de casa, que visitava inúmeros mercados internacionais e sempre que o filho regressa de Londres tem uma aguardente à sua espera na mesa –, e António Pereira da Silva – filho de um dos sócios da família Carvalho Ribeiro & Ferreira que se orgulha do filho de 24 anos atualmente preferir uma boa aguardente a uma qualquer bebida espirituosa internacional.

Artigo anteriorMais de 100 noites num cruzeiro para dar a volta ao mundo. Experimentaria?
Próximo artigoVoos 100% reembolsáveis: a nova campanha da LATAM para qualquer destino sul-americano

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor coloque aqui o seu comentário
Por favor coloque o seu nome aqui