Ir ao teatro assistir a uma peça de teatro é algo normal nas nossas vidas. Compramos o bilhete e basta estarmos de corpo presente para desempenharmos bem o nosso papel. Mas será assim? A peça “O Espectador” convida-o a desafiar o conceito de ser espectador, entre os dias 12 e 22 de maio, no Centro Cultural da Malaposta.

Esta peça de meta-teatro, com influências do teatro do absurdo, coloca o público em confronto consigo mesmo e aguça o sentido crítico de como nos relacionamos com a arte teatral, debatendo temas como a homofobia e a dificuldade da integração dos imigrantes no mundo da cultura nacional, mesmo quando todos falamos a mesma língua. A peça vai estar em cena de quinta-feira a sábado, às 20h00, e aos domingos às 16h00.

“O Espectador” conta a história de Augusto, um homem com 35 anos, homossexual, imigrante, que vive com a sua mãe numa relação opressiva e que encontra no teatro o seu refúgio (ou amor), no qual replica a relação tóxica. A vivência obsessiva do teatro por parte de Augusto, as constantes rejeições e a forma como se deixa consumir pelo mundo fantasiado da sétima arte, dá-lhe coragem para tomar de assalto a peça de teatro em cena, atraindo o público para a narrativa presente e explorando a relação e as expectativas na dinâmica entre os atores e o público.

O público é convidado a refletir sobre o óbvio, de que apesar de falarmos todos a mesma língua, ainda há um longo caminho a percorrer, para a integração plena de artistas imigrantes no espaço da cultura.

Daniel Freitas, autor e ator do espetáculo, afirma que esta peça “fala da procura do Augusto por aceitação e afeto, da sua tentativa desesperada de fugir da sua vida quotidiana opressora, impulsionada por esta relação familiar tóxica que tem com a mãe; do enfrentar de dificuldades para inserir-se no meio artístico nacional face ao seu sotaque brasileiro e fala também, da adoração que ele alimenta pelo seu amante, o teatro”.

Um espetáculo de 60 minutos, que para além de Daniel Freitas, conta com encenação de Juliano Luccas, música de Bruno Huca e figurino de João Telmo, que pretende homenagear a arte teatral ao trazer para cena um jogo de relação entre quem se apresenta e quem assiste. Um trabalho que reúne artistas de diferentes nacionalidades de países lusófonos, como Portugal, Brasil e Moçambique. Um espetáculo que conta com o apoio da República Portuguesa – Cultura/DGARTES e Pólo Cultural Gaivotas.

Os bilhetes para o espetáculo podem ser adquiridos aqui, com um custo unitário de 12 euros e mais informações podem ser encontradas no site do Centro Cultural da Malaposta ou na página de Facebook da peça.

Artigo anteriorDolce By Wyndham Camporeal Lisboa celebra o Dia da Família, com 15 dias com 15% de desconto
Próximo artigoAs Sunset Parties do ROOFTOP BAR – Hotel Mundial iniciam dia 20 maio com o tema “Time to Bloom”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor coloque aqui o seu comentário
Por favor coloque o seu nome aqui