O Monstra – Festival de Animação de Lisboa deste ano acontece sob o tema da liberdade de expressão, associando-se às comemorações dos 50 anos da Revolução de Abril de 1974. O festival dedicado ao cinema de animação acontece de 7 a 17 de março e a programação inclui pelo menos dois momentos associados à efeméride da ‘Revolução dos Cravos’.

Está prevista a estreia de “A revolução”, um filme coletivo assinado por alunos de escolas de animação de todo o mundo, que “revela como veem hoje uma revolução democrática” e cuja exibição contará com música ao vivo.

Um outro momento de celebração será com um debate com os desenhadores Cristina Sampaio, André Carrilho, Nuno Saraiva e José Bandeira, e o crítico Pedro Mexia.

Este ano, o Monstra vai exibir cerca de 400 filmes, tendo a Irlanda como país em destaque, nomeadamente com uma retrospetiva dedicada ao realizador Tom Moore, convidado para estar presente em Lisboa, e com uma homenagem ao cineasta Aidan Hickey.

Nesta panorâmica sobre o cinema de animação irlandês, serão mostrados filmes de estúdios recentes, entre os quais Paper Panther, Triggerfish e Barley Films.

Estão previstas as estreias dos filmes “Leonardo, o inventor”, de Jim Copobianco e Pierre-Luc Granjon, e “Puffin Rock and the new friends”, de Jeremy Pucell.

A competição de longas-metragens contará com sete filmes, entre as quais “Mataram o pianista”, com coprodução portuguesa pela Animanostra e realizada pelos espanhóis Fernando Trueba e Javier Mariscal, que também devem estar em Lisboa.

O Monstra vai ainda acolher a antestreia de “Robot Dreams – Amigos Improváveis”, filme do espanhol Pablo Berger que está nomeado para os Óscares.

Na competição de curtas-metragens portuguesas, candidatas ao Prémio Vasco Granja, estão onze filmes, de realizadores como Sara Naves, Marta Monteiro, André Ruivo, Nuno Amorim e Bruno Carnide.

Entre as estreias contam-se a série “Diário de Alice”, de Diogo Viegas, com produção da Sardinha em Lata, dirigida ao público pré-escolar e com previsão de exibição em Portugal, Espanha e Brasil, e a curta-metragem “A menina com os olhos ocupados”, de André Carrilho, a partir de um álbum ilustrado com o mesmo nome.

O Monstra estará centrado no Cinema São Jorge, mas volta a ter programação noutros espaços, como a Cinemateca Portuguesa, o cinema Fernando Lopes e o Museu da Marioneta, onde estará patente a exposição “Três Famílias”.

Esta mostra, que abre já a 15 de fevereiro, revela os bastidores de três longas-metragens que assentam em histórias de família: “Interdito a Cães e Italianos”, de Alain Ughetto, “O Retrato de Família”, de Lea Vidakovic, e “A cada dia que passa…”, de Emanuel Nevado.

Artigo anteriorCalvin Klein abre nova loja no Aeroporto de Lisboa
Próximo artigoDescubra as 15 regiões mais bonitas de Portugal (para fugir à confusão das grandes cidades)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor coloque aqui o seu comentário
Por favor coloque o seu nome aqui