Créditos: ZNera Space

No Dubai, o escritório de arquitetura experimental ZNera Space propôs um projeto conceptual. A ideia é criar uma enorme estrutura circular de cinco andares que iria envolver o arranha-céus mais alto do mundo, o Burj Khalifa – que se eleva a 829,8 metros, quase o dobro da altura do Empire State Building.

O conceito, conhecido como Downtown Circle, combina comunidade, luxo e planeamento urbano futurista num design extremamente ambicioso, que ganhou vida através de uma série de ilustrações hipnotizantes criadas em colaboração com a Pictown.

Uma linha do horizonte em constante mudança

Por mais convincente e radical que o Downtown Circle seja, é, por enquanto, financeiramente implausível, admitem Chowdry e Remess, os arquitetos por detrás deste projeto conceptual. “Criámos algo que poderia levar as pessoas a repensar o desenvolvimento urbano, a repensar o congestionamento da cidade.”

A estrutura, destinada a ficar 550 metros acima do nível do chão, teria uma circunferência de mais de três quilómetros. O anel seria apoiado por cinco enormes pilares que poderiam potencialmente ter um propósito adicional.

“Queríamos criar um microclima no centro da cidade e criar uma espécie de envelope ao redor da área para controlar a temperatura e torná-la mais habitável em climas quentes”, afirmou Chowdry. “Pode-se usar esses [pilares] verticais como purificadores de ar urbano“. A estrutura dos pilares poderia incorporar um design inovador de filtragem de poluição criado pela ZNera Space.

Projeto sustentável

No Dubai, as temperaturas ultrapassam frequentemente os 40 graus Celsius, e os arquitetos querem que o seu projeto estabeleça uma nova referência para a sustentabilidade na região. “Todo o teto seria feito de de painéis solares“, sublinhou Chowdry. “O que também queremos fazer é implementar uma tecnologia que já utilizámos num projeto anterior: células solares de hidrogénio”. Esta tecnologia utiliza energia solar para converter água em hidrogénio, que pode então alimentar o ar condicionado e fornecer energia ao edifício.

O conceito também propõe opções de transporte de uma ponta à outra, incluindo um sistema de elétricos que poderiam atingir velocidades de 100 quilómetros por hora e infraestruturas para acomodar táxis aéreos.

Uma cidade autossustentável

Construir um projeto tão ambicioso arquitetonicamente é desafiante, seria necessário criar uma estrutura suficientemente forte para abrigar os recursos internos, mas leve o suficiente para ser sustentada pelos pilares. “A estrutura em si é bastante leve. Imagino-a como (uma grande) aeronave – a pele, as costelas, que se torna a estrutura e por dentro é toda oca”, disse Chowdry.

O Downtown Circle teria espaços residenciais entre áreas comerciais, corporativas e culturais para formar uma “cidade autossustentável dentro de uma cidade“, acrescentou Remess. Os habitantes poderiam “chegar ao seu escritório ou à sua casa numa caminhada de 15 a 20 minutos. No Dubai, é difícil fazer isso”.

O destaque do interior do projeto é um “cinturão” verde contínuo, apelidado de Skypark, que conecta todos os cinco andares da estrutura.
O Skypark é a espinha dorsal de todo o projeto“, explicou Chowdry. “Será um espaço verde de uso misto, que também funcionará como um espaço para repensar como a agricultura vai acontecer no futuro, especialmente nas cidades”, disse, acrescentando que o objtivo é “trazer de volta a agricultura e a produção de alimentos para o centro da cidade“.

Artigo anteriorO “Praia no Parque” apostou num refresh decorativo (em que os protagonistas são animais selvagens)
Próximo artigoVista Alegre entra no segmento Home Cosmetics com o lançamento de 3 aromas exclusivos para a casa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor coloque aqui o seu comentário
Por favor coloque o seu nome aqui