Catedral de Helsínquia, na Finlândia
Catedral de Helsínquia @myhelsinki

Se a Finlândia é o país mais feliz do mundo, então podemos afirmar que Helsínquia é a capital da felicidade, certo? É o quarto ano consecutivo que o país lidera o relatório “World Happiness”, desenvolvido pela ONU, com o objetivo de classificar a felicidade global de cada país.

Rankings à parte, o que queremos partilhar consigo são os motivos pelos quais deve considerar Helsínquia como o próximo destino para uma escapadinha na Europa.

Fora dos roteiros turísticos

Helsínquia, Finlândia
Helsínquia, Finlândia

Helsínquia não é uma cidade com atrações “tchanan” e, por isso, os holofotes do turismo não estão voltados para ela, como estão para outras capitais europeias. O que, antes da pandemia, jogava a seu favor, tendo em conta a invasão do turismo nas cidades e o que isso acarretava. E, mesmo depois da pandemia, não é expectável que isso se altere. Não há filas de espera para entrar em museus, não há preços mais caros por causa do turismo, os preços são caros porque o poder de compra dos finlandeses está acima dos países do sul da europa. What you see is what you get. E o que vemos é uma cidade relativamente pequena, funcional, e com todas as atrações a um distância a pé entre si, sem confusões, nem atropelos, sem enchentes de turistas.

Capital do Design

Centro de Design da marca Littala & Arabia @ myhelsinki


Além de ser capital da felicidade (título oficioso), Helsínquia já foi Capital Mundial do Design (este sim um título oficial) em 2012. Este título encaixa como uma luva na cidade e no próprio país e os amantes do design vão encontrar nas ruas de Helsínquia marcas finlandesas que aliam design, funcionalidade e sustentabilidade (Artek, Ittala&Arabia, Aarikka ou Marimekko são alguns exemplos) e há mesmo uma zona na cidade dedicada ao design. O Design District abrange vários bairros do centro que incluem Punavuori, Kaartinkaupunki, Kruunuhaka, Kamppi e Ullanlinna, e é um projeto que reúne lojas, ateliers, museus, galerias e cafés. Apesar da cidade celebrar o design todo o ano, o mês de setembro é especial porque é quando decorre a Helsinki Design Week.

Museu Amos Rex

Museu Amos Rex, em Helsínquia
Museu Amos Rex é uma dos pólos culturais de Helsínquia @myhelsinki

Um dos legados da Capital Mundial de Design de 2012 foi a construção de vários edifícios e museus. O que mais se fala na cidade é o Amos Rex , um museu subterrâneo de arte contemporânea inaugurado em 2018. Cinco claraboias com cúpula de concreto pontuam a Praça Lasipalatsi, criando uma paisagem de outro mundo – parece que estamos a andar por cima de uma nave espacial ou num planeta desconhecido. Não é o único museu de arte contemporânea na cidade. A Galeria Nacional da Finlândia, a maior instituição de museus de arte do país, gere três museus na cidade, entre os quais o o Kiasma, outra obra da arquitetura moderna.

Biblioteca Oodi

Biblioteca Oodi, em Helsínquia
A Biblioteca Oodi, em Helsínquia, foi inaugurada em dezembro de 2018 @myhelsinki

A Biblioteca Oodi foi inaugurada em dezembro de 2018, para celebrar o centenário do país e recebeu o título de uma das bibliotecas mais futuristas do mundo. Tem um design ondulante e é uma “ode” à estética simples da cidade. Não é apenas uma biblioteca, é também espaço cultural e social, para a realização de vários eventos. A construção está repleta de significados: não só a importância central que as bibliotecas públicas possuem no cenário cultural finlandês, como pretende ser um hino ao conhecimento, aprendizagem e igualdade naquele que foi classificado como o país mais alfabetizado do mundo por um relatório de 2016 baseado em estatísticas oficiais.

Temppeliaukio (Igreja da Rocha)

Interior da Igreja da pedira, em Helsínquia, na Finlândia
A Igreja da Rocha em Helsínquia @ myhelsinki

A Igreja Temppeliaukion é conhecida também por Igreja da Rocha, por ter sido esculpida na pedra. A construção pertence aos irmãos Suomalaimen que venceram um concurso de arquitetura com este projeto em 1960.  As paredes são todas de pedra exposta e o telhado é uma enorme cúpula que permite a entrada de luz natural. Mais de meio milhão de pessoas visitam a igreja a cada ano, e o local também é usado regularmente para shows e grandes eventos.

Porto e Praça do Mercado

Zona portuária de Helsínquia, na Finlândia
Zona portuária de Helsínquia

A Praça do Mercado ou Kauppatori, como é conhecida em finlandês, está localizada à beira-mar no centro da cidade.  Um conjunto de tendas laranja que vendem produtos sazonais, gastronomia tradicional e artesanato. Ao lado, o porto, de onde partem barcos e ferries para visitar as ilhas ao largo da cidade. Existem mais de 330 ilhas que compõem o arquipélago da cidade de Helsínquia, entre as mais populares está Suomenlinna. As antigas ilhas-fortalezas de Suomenlinna ficam a apenas 15 minutos de barco da cidade. Património Mundial da UNESCO, Suomenlinna é uma das atrações mais populares de Helsínquia. Os visitantes são atraídos por museus, galerias de arte, restaurantes e cafés. De volta à Praça do Mercado, aqui podemos avistar alguns dos principais edifícios da cidade, tais como a Catedral Branca e a igreja ortodoxa Uspenski, uma das maiores desta zona da Europa, e a roda gigante.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor coloque aqui o seu comentário
Por favor coloque o seu nome aqui