Real Gabinete Português de Leitura, Rio de Janeiro. Créditos: Wikipedia

A língua portuguesa não só é uma das línguas mais difundidas no mundo, com mais de 265 milhões de nativos espalhados por todos os continentes, como é também a língua mais falada no hemisfério sul. O português continua a ser, atualmente, uma das principais línguas de comunicação internacional.

Por ocasião do Dia da Língua Portuguesa, que se celebrou no dia 5 de maio, a Embratur – Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo, apresenta quatro atrações em destinos imperdíveis que homenageiam e ajudam a preservar os registos da língua no Brasil.

Real Gabinete Português de Leitura, Rio de Janeiro

Real Gabinete Português de Leitura

Fundado a 14 de Maio de 1837 por imigrantes portugueses, o gabinete surgiu com o objetivo de oferecer a todos os compatriotas que vivem no Rio de Janeiro, o acesso à publicação do seu país de origem. O Real Gabinete Português de Leitura oferece uma coleção de 350 mil títulos de autores portugueses. Os leitores podem consultar os livros na Sala da Biblioteca.

Considerada uma das bibliotecas mais bonitas do mundo e localizada na Rua Luís de Camões, no coração do Rio de Janeiro, a atração impressiona pelo seu prestígio nos meios intelectuais, pela beleza arquitetónica do seu edifício sede, pela importância do acervo bibliográfico e pelas atividades que desenvolve.

Vários trabalhos decoram os armários de madeira esculpida da instituição, como o modelo do monumento a Pedro Álvares Cabral e pequenos bustos de figuras conhecidas nas relações entre Portugal e Brasil, como D. Manuel I e Eça de Queirós. A atração é uma obrigação para quem procura saber mais sobre a nossa língua num destino tão incrível como o Rio.

Museu da Língua Portuguesa, São Paulo

Museu da Língua Portuguesa. Créditos: GOVESP

Valorizando a diversidade da língua portuguesa, celebrando-a como elemento fundamental e fundador da cultura e aproximando-a dos que falam esta língua em todo o mundo, o Museu da Língua Portuguesa nasceu, no edifício da Estação da Luz em São Paulo, destino que abriga grande diversidade cultural e de atrações para todos os tipos de visitantes.

O museu abriu as suas portas ao público em 2006, tendo como casa a cidade de São Paulo, que alberga a maior população de nativos da língua portuguesa do mundo. A Estação da Luz foi um dos principais pontos de passagem de imigrantes que chegaram ao país e, até hoje, é um espaço dinâmico de contacto e convivência entre várias culturas e classes sociais, abrigando sotaques de todo o Brasil, um convite a descobrir o Brasil através da língua.

Como o seu tema é património imaterial, o Museu faz uso da tecnologia e de suportes interativos para construir e apresentar a sua coleção. O público é convidado numa viagem sensorial e subjetiva apresentando a língua como uma manifestação cultural viva, rica e diversificada, em constante construção.

O museu acolhe exposições temporárias, para além de cursos, palestras, debates e espetáculos artísticos. Entre os homenageados com exposições contam-se escritores como Clarice Lispector, Machado de Assis, Cora Coralina, Fernando Pessoa, Oswald de Andrade, Jorge Amado, Rubem Braga, Guimarães Rosa, Agustina Bessa-Luís e Gilberto Freyre.

Biblioteca Nacional, Rio de Janeiro

Biblioteca Nacional, Rio de Janeiro. Créditos: Wikipedia

Voltando à cidade maravilhosa, a Biblioteca Nacional, considerada pela UNESCO uma das maiores bibliotecas nacionais do mundo, é também a maior biblioteca da América Latina. O edifício histórico da sede da Biblioteca Nacional, para além de albergar a sua extensa coleção, chama também a atenção para a sua imponente arquitetura, salas monumentais e obras de arte que remontam às relações entre os dois países.

O núcleo original da coleção, calculada hoje em cerca de 10 milhões de artigos, é a antiga biblioteca de D. José organizada sobre a inspiração de Diogo Barbosa Machado, Abade de Santo Adrião de Sever, para substituir a Biblioteca Real, cuja origem remonta às coleções de livros de João I e do seu filho Duarte, e que foi queimada após o terramoto de Lisboa de 1755.

A Lei de Depósito Legal é definida pelo envio obrigatório de pelo menos um exemplar de todas as publicações produzidas no território nacional, por qualquer meio ou processo, garantindo assim a preservação e formação da Coleção Nacional de Memória.

Biblioteca Nacional, Brasília

Biblioteca Nacional, Brasília. Créditos: Wikipedia

Por si só, a capital Brasília tem monumentos únicos, dispostos a formar um museu modernista ao ar livre. A disposição original e os belos edifícios desenhados pela dupla formada pelo urbanista Lúcio Costa e pelo arquiteto Oscar Niemeyer fizeram da nova capital do Brasil a primeira propriedade moderna inscrita pela UNESCO na Lista do Património Cultural da Humanidade.

No centro da cidade, muitos dos seus projetos podem ser vistos lado a lado, tais como o Complexo Cultural da República, que alberga o Museu Nacional e a Biblioteca Nacional. Com a transferência da capital do Rio de Janeiro para Brasília, o projeto para a construção de um novo Museu Nacional na nova capital já começou.

O espaço, inaugurado em 2006, no 99º aniversário de Niemeyer, convida os visitantes a descobrir a arquitetura e a coleção da biblioteca. No espaço exterior entre os edifícios, são realizados vários eventos culturais e exposições que, como parte de uma cidade nova e modernista, registam o desenvolvimento da língua portuguesa nos dias de hoje.

Artigo anteriorPassadiços do Mondego abrem ao público no verão
Próximo artigoVox City Walks: a nova forma de conhecer Lisboa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor coloque aqui o seu comentário
Por favor coloque o seu nome aqui