Fonte: pangeosyacht.com

Que navio poderia ser mais ousado do que um super-iate? Ora, um “tera-iate” é claro, um nome dado a embarcações ainda maiores do que super, mega e giga-iates.

O mais recente barco de luxo que poderá entrar no mercado é o Pangeos – em homenagem a Pangea, um supercontinente que existiu há cerca de 200 a 335 milhões de anos – um navio em forma de tartaruga, que custará cerca 8 bilhões de dólares (7,7 mil milhões de euros) a construir, de acordo com a empresa de design Lazzarini. Não é de admirar que o valor seja tão elevado uma vez que, se o projeto for financiado, o Pangeos tornar-se-á na maior estrutura flutuante alguma vez construída. O navio estende-se por 550 metros de comprimento e 610 metros de largura.

Fonte: pangeosyacht.com

Se for construído, este “tera-iate” será uma autêntica “cidade flutuante“, de acordo com a empresa de design Lazzarini. O navio terá espaço para hotéis, centros comerciais, parques e até portos para navios e aeronaves menores, para os hóspedes chegarem em grande estilo.

Mas, para construir este navio colossal, será necessário um local com características especiais, que não existe atualmente. Os designers colocaram a Arábia Saudita como uma hipótese, mas para se poder iniciar a construção seria necessário desobstruir cerca de um quilómetro quadrado de mar e teria de ser construída uma barragem circular. Os designers apontaram um espaço no King Abdullah Port, cerca de 130 quilómetros a norte de Jeddah, como o local ideal.

Dividido em blocos como uma cidade real, Pangeos tem um porto e uma praça principal, a partir da qual outros edifícios espiralam. Uma área de “concha superior”, rodeada por espaços ajardinados, funcionaria como um local de aterragem para aviões. Abaixo do espaço habitacional haveria 30.000 “células” que manteriam a estrutura a flutuar. O porão seria feito de aço e o telhado teria painéis solares para alimentar o navio.

Em vez de operar a partir de um determinado porto ou de ter um itinerário definido, o Pangeos limitar-se-ia a navegar pelo oceano, tornando a viagem dentro do navio no próprio destino. A empresa Lazzarini espera que a construção possa começar em 2033, com um tempo de construção de oito anos. No entanto, Há uma iniciativa de “crowdfunding” que lhe permite comprar desde um bilhete de entrada virtual (por cerca de 16€) até um apartamento VIP (cerca de 163€) via NFT.

Artigo anteriorO Café Social é o novo espaço em Alcântara que serve “comfort food” com inspiração libanesa
Próximo artigoGaleria São Mamede reúne nomes maiores da pintura contemporânea portuguesa em Lisboa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor coloque aqui o seu comentário
Por favor coloque o seu nome aqui