Chama-se Grande Rota das Montanhas Mágicas e é um projeto que une sete municípios (Vale de Cambra, Arouca, Castelo de Paiva, São Pedro do Sul, Castro Daire, Sever do Vouga e Cinfães), quatro serras e seis rios, ao longo de 280 quilómetros.

São muitos os que já o veem como um território encantado. Mas serão ainda mais a partir de 1 de julho próximo, após a inauguração e apresentação da GR60 – Grande Rota das Montanhas Mágicas – um percurso circular de aproximadamente 280 quilómetros, que liga inúmeros locais de grande beleza e interesse natural, patrimonial e cultural, para serem apreciados de bicicleta ou a pé.

Desenhado para os amantes do turismo de natureza e turismo aventura e permitindo uma imersão total no território, o trajeto quer tornar-se uma referência nacional e internacional nas áreas do «Cycling» e do «Walking».

O projeto, pensado pela Associação de Desenvolvimento Rural Integrado das Serras de Montemuro, Arada e Gralheira (ADRIMAG), foi abraçado com entusiasmo pelos municípios de Vale de Cambra, Arouca, Castelo de Paiva, São Pedro do Sul, Castro Daire, Sever do Vouga e Cinfães na criação desta oferta turística diferenciadora e estruturada, que atravessa as serras da Freita, Arada, Arestal e Montemuro, assim como os vales dos rios Douro, Vouga, Paiva, Bestança, Caima e Teixeira.

O mapa da GR60 contempla inúmeros pontos de interesse, como os da Rota da Água e da Pedra, e, também, quatro zonas especiais classificadas na Rede Natura 2000 e o Arouca Geopark Mundial da UNESCO. Estes últimos cinco locais somam, aliás, mais de 50% da área total do território em causa.

O trajeto – que tem a Grande Travessia de BTT dividida em oito etapas (dimensionadas para ser completadas a uma média de uma por dia, por praticantes habituais e, claro, dependendo do ritmo imposto e da respetiva aptidão física na modalidade) e o circuito pedestre em 14 segmentos (que podem ser finalizados em 14 dias) – está devidamente sinalizado e possui vários pontos de apoio ao longo de todo o percurso, estando dotado das condições necessárias à prática das disciplinas para as quais foi pensado, inclusive na promoção das práticas ambientais responsáveis.

Para lá das autarquias mencionadas, o projeto tem como parceiros a Federação Portuguesa de Ciclismo, a Federação de Campismo e Montanhismo de Portugal, o Turismo do Porto e Norte de Portugal e o Turismo do Centro de Portugal.

A inauguração oficial terá lugar a 1 de julho, na típica aldeia de Felgueira (em Arões, Vale de Cambra), que faz também parte da rota das Aldeias de Portugal.

Artigo anteriorAP Cabanas Beach & Nature, no Algarve, recebe concerto de Cuca Roseta
Próximo artigoUptown Bar reabre no centro de Lisboa com diversos cocktails e descontos até 25%

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor coloque aqui o seu comentário
Por favor coloque o seu nome aqui