Restaurante In.Vulgar

In.Vulgar abriu portas na Rua dos Fanqueiros, na Baixa de Lisboa, com um toque de contemporaneidade e elegância. Numa zona de grande afluência turística, este será um espaço que entrará no roteiro gastronómico dos portugueses.

Erik Ibrahim, um dos sócios do restaurante, afirma que “o In.Vulgar é o espaço que sempre ambicionei que existisse em Lisboa. É um restaurante que reúne a história da baixa pombalina, um edifício com uma arquitetura nobre, com a remodelação do interior de forma harmoniosa e sofisticada. Mas para além deste enquadramento, é a cozinha que nos orgulha, com o destaque ao receituário nacional, ênfase nos produtos regionais que são apresentados de forma moderna, com detalhes técnicos que nos trazem os sabores de forma invulgar, ou seja, surpreendente”. 

Instalado num edifício histórico, o In.Vulgar dispõe de elementos decorativos elegantes, em tons de dourado e preto, conceptualizados pela empresa portuguesa Luxedesign. As mesas dividem-se em três zonas distintas, para proporcionar aos clientes experiências distintas, com a fachada aberta para a dinâmica desta rua. No centro da sala, encontra-se a área de bar.

Ao leme da cozinha está o chef Hélder Martins, que soma no currículo os estrelados Arzak, em San Sebastián, Espanha, o The Fat Duck, no Reino Unido, e também o restaurante Tavares Rico, em Lisboa.

Os produtos nacionais e sazonais ocupam lugar de destaque no menu, composto por couvert (4,50€), entradas, como as Ervilhas, aipo e batata doce (9,50€) e a Sapateira, legumes da primavera e halófitas (14€), pratos principais (peixe, vegano e carne), entre os quais o Espadarte de Sesimbra, batata doce e azeitona (28€) ou o Rabo de boi, foie-gras e maçã de Alcobaça (24€) e ainda sobremesas, criadas por João Guerreiro, chef pasteleiro do In.Vulgar, como Priscos e citrinos (7€) ou Maçã de Alcobaça e miso (7€).

A carta do restaurante é renovada quatro vezes por ano, tendo em conta os produtos disponíveis em cada estação, o que permite que os clientes provem pratos diferentes sempre que visitem o In.Vulgar. 

O bar e a carta de vinhos são um dos pontos fortes do espaço. Os clientes podem optar por beber um champanhe, um cocktail de autor, como o Touriga (11€), o Blue Ron (9€) ou o Pear Arbustus (10€), ou uma bebida mais clássica, como o Mojito (9€), o Negroni (9€) ou a Margarita (9€). O restaurante dispõe de uma vasta carta de vinhos com referências nacionais selecionadas criteriosamente.

Aberto somente ao jantar, de terça-feira a sábado, pretende ser “um local diferenciador em relação a outros espaços de restauração da zona da baixa lisboeta e, por isso, foi batizado com o nome In.Vulgar.”

Artigo anteriorSe não gosta de barulho, estes são os hotéis mais tranquilos em cada capital do mundo, incluindo Lisboa
Próximo artigoOs cinco parques naturais mais destacados de Israel  

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor coloque aqui o seu comentário
Por favor coloque o seu nome aqui