Desde novembro de 2022 que há um novo motivo para visitar Alcobaça e e não é um motivo qualquer. Já abriu o novo hotel do grupo Visabeira, o Montebelo Mosteiro de Alcobaça Historic Hotel que, como o próprio nome indica, fica situado dentro do Mosteiro de Alcobaça. Poderia ser só um hotel de cinco de estrelas localizado dentro de um mosteiro, o que, por si só, já seria digno de visita, mas a parceria com o prestigiado arquiteto Eduardo Souto Moura, que assina o projeto arquitetónico de recuperação do edifício, eleva a estadia no hotel para um patamar de contemplação de uma obra prima da requalificação.

Ora, comecemos pelo início. Desde 2016 que se anunciava a construção de um hotel no Claustro do Rachadouro do Mosteiro de Alcobaça, depois do Grupo Visabeira, detentor das marcas Vista Alegre e Bordallo Pinheiro, e da cadeia Montebelo Hotels & Resorts, ter ganho o contrato público de concessão desta parte do mosteiro por cinquenta anos. O que estava previsto era construção de um hotel de cinco estrelas, com 81 quartos e nove suites, um SPA, áreas comerciais e ligação ao jardim do obelisco. O grupo não se desviou do projeto inicial, mas a curiosidade era muita para saber como seria um hotel de cinco estrelas dentro de um património da UNESCO.

Curiosos, lá fomos visitar e desfrutar de uma estadia de dois dias. À chegada, esperava-nos o diretor do hotel, António Machado Matos. A entrada do hotel faz-se pela parte de trás do mosteiro. A primeira impressão é a de um hotel com um decoração minimalista. O diretor encaminha-nos da receção, que é simultaneamente um escritório aberto, para o Spa, e é por aí que começamos a nossa visita.

O conceito do arquiteto Eduardo Souto Moura para o Montebelo Mosteiro de Alcobaça foi inspirado no minimalismo e desapego da vida conventual, limpando o mesmo das inúmeras intervenções mais recentes e recuperando o espírito que marcou o imóvel ao longo dos séculos. Esta visão colocou em destaque, por exemplo, os tetos abobadados e as colunas de pedra. Para não esconder estes elementos, a solução encontrada por Souto Moura para as zonas de Spa e receção foi a colocação de compartimentos móveis, que não ferem a arquitetura original. Destaque para a piscina interior do Spa, que atravessa os claustros e incorpora as colunas dentro de água.

Percorremos cada corredor do claustro contemplando a sua magnitude. A dimensão destes corredores parece ampliada pelo pouco mobiliário que aqui existe- de propósito – afinal o que ser destacar é o edifício. As peças de decoração são também assinadas por Eduardo Souto Moura e por outra figura ilustre da arquitetura, o arquiteto Siza Vieira. Seguem o conceito minimalista no design mas são feitas de materiais nobres como a madeira e peles.

A maioria dos quartos eram antigas celas ou escritórios dos monges, hoje transformadas num refúgio para quem procura uma estadia tranquila e revigorante. O interior dos quartos é também ele minimalista, mas com todos os requisitos de um quarto cinco estrelas. No total, são 91 unidades de alojamento, distribuídas por quartos singles e duplos; quartos familiares; suites e uma master suite. Têm vistas para o Claustro (caso da master suite) ou para a cidade.

Por sua vez, o Montebelo Alcobaça Historic Hotel tem capacidade para atrair múltiplos eventos, uma vez que dispõe de todas as condições técnicas e espaços únicos para congressos, banquetes e reuniões, existindo já inúmeras solicitações de reservas nesse sentido. A antiga biblioteca do Mosteiro, agora transformada em grande salão, é sem dúvida um dos destaques. A beleza e imponência do espaço atrairá muitos eventos a este hotel.

O Montebelo Mosteiro de Alcobaça oferece ainda um restaurante gastronómico de eleição, onde se cruzam os sabores da gastronomia Portuguesa e da Região centro.

O Montebelo Mosteiro de Alcobaça Historic Hotel passa a ser, para já, o sétimo hotel da cadeia Montebelo Hotels & Resorts, que em janeiro de 2023 inaugurará, em Lisboa, no Chiado, a oitava unidade em Portugal. A cadeia detém, ainda, seis hotéis e resorts no território moçambicano.

Sugestões Vou Sair

Em Alcobaça

Visita ao Mosteiro de Alcobaça – Classificado como Património Mundial da UNESCO, a visita inclui várias salas, a cozinha, o refeitório e a igreja, onde se encontram os túmulos de D. Pedro I e de D. Inês de Castro.

Horários – De outubro a março, das 09h00 às 18h00 (última entrada 17h30) | De abril a setembro, das 09h00 às 19h00 (última entrada 18h30) 

Bilhetes – Bilhete individual – 6,00 € | Bilhete Sacristia – 2,00 € | Bilhete Património Mundial:  Mosteiro de Santa Maria de Alcobaça, Convento de Cristo e Mosteiro de Santa Maria da Vitória (Batalha) – 15,00€ [válido por 1 ano]

Pastelaria Alcôa

Situada na Praça 25 de Abril, em frente ao Mosteiro de Alcobaça, é conhecida pelos seus doces conventuais, já várias vezes premiados em concursos de doçaria conventual É o caso da Coroa da Abadessa, do Manjar Real, Queijinhos do Ceo, Cornucópia ou Delícia do Convento. Difícil vai ser mesmo escolher só um para provar.

Restaurante António Padeiro

Com três salas, o Restaurante António Padeiro é um dos mais emblemáticos de Alcobaça. Fica no número 27 da Rua Dom Maur Cocheril. É pelas mãos de Ana Branco, neta de António Padeiro e atual proprietária do espaço, que o legado desta antiga tasca e cervejaria se perpetua.

Na Região Centro

Nazaré e a Praia do Norte – A 20 minutos de Alcobaça, encontra a Nazaré e a Praia do Norte, internacionalmente conhecida pelas suas ondas gigantes. O canhão da Nazaré, que provoca as ondas altas, é uma atração turística desde que McNamara surfou uma onda gigante em 2011. O melhor spot para ver as ondas gigantes é o Forte de S. Miguel Arcanjo e a altura delas é entre novembro e fevereiro.

São Martinho do Porto – A 25 minutos de Alcobaça, sugerimos um passeio pelos passadiços (requalificados em 2022) de São Martinho do Porto permite apreciar a pitoresca e bonita baía, assim como a Duna de Salir, considerada a maior de Portugal. 

Passadiços de Fragas de São Simão – Encontra estes Passadiços a 1h20 de Alcobaça. E vale bem a pena. Inaugurados em 2020, os Passadiços das Fragas de Simão fazem a ligação entre a Aldeia do Xisto de Casal de São Simão e a praia fluvial e o miradouro de São Simão, numa viagem através de paisagens deslumbrantes. Com uma duração aproximada de 45 minutos, neste percurso caminha-se entre o bosque, a ribeira e a praia fluvial, é aconselhado o ano todo.

Artigo anteriorChef Noélia Jerónimo vem a Lisboa em janeiro para almoço e jantar a 4 mãos no Mãe Restaurante
Próximo artigoJNcQUOI Avenida recebe menu especial do restaurante algarvio “Gigi” de 11 a 15 de janeiro

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor coloque aqui o seu comentário
Por favor coloque o seu nome aqui