Marraquexe, a quarta maior cidade de Marrocos, com cerca de 1 milhão de habitantes, é uma cidade que seduz os sentidos e conquista o coração de quem a visita. As suas ruas estreitas e sinuosas, tingidas num distintivo tom de ocre, conduzem-nos por um labirinto de cores, sons e sabores, onde cada esquina revela uma nova faceta da rica cultura marroquina.

Partimos de Lisboa, do Aeroporto Humberto Delgado, com a companhia aérea TAP, com destino ao Aeroporto de Marraquexe, no dia 12 de abril. Viajámos a convite do operador turístico Solférias, que disponibiliza voos regulares para este destino africano, durante todo o ano. A viagem é surpreendentemente curta, apenas cerca de 1h10 até alcançarmos o nosso destino, ideal para quem prefere voos de curta duração. No entanto, esteja preparado, pois apesar da rapidez da viagem, poderá enfrentar alguma espera durante o processo de controlo de passaportes.

No aeroporto de Lisboa, os clientes da TAP que possuam estatuto Navigator, Gold ou Silver, ou que viajem em classe Executiva, têm a oportunidade de desfrutar do novo Lounge Atlântico. É um espaço confortável, que oferece uma variedade excecional de opções de comida e bebida, tornando a espera antes do voo uma experiência mais agradável.

Chegámos a Marraquexe. Assim que entrámos no transfer que nos levaria ao hotel, fiquei imediatamente surpreendida com a modernidade da cidade. De repente, estávamos rodeados por prédios imponentes e avenidas largas, ladeadas por palmeiras e oliveiras. A atmosfera era vibrante e enérgica, com um trânsito caótico que fluía pelas ruas movimentadas da cidade. Era um cenário onde a diversidade de meios de transporte era evidente: desde carroças puxadas por cavalos até carros modernos e numerosas motas, que transportam toda a família.

Ao entrar na cidade, é impossível não ficar maravilhado com a Praça Jemaa el-Fna, o epicentro da vida em Marraquexe. Durante o dia, esta vasta praça é dominada por vendedores ambulantes, músicos e encantadores de serpentes, criando uma atmosfera vibrante e caótica. No entanto, é importante estar ciente de que, ao tocar nos animais, como cobras e macacos, ou ao tirar fotografias, é esperado que se pague aos vendedores ou aos proprietários desses animais. Contudo, é à noite que a Praça Jemaa el-Fna ganha vida, com uma miríade de bancas de comida, espetáculos de dança e música, e uma energia contagiante que atrai multidões de locais e turistas.

Os souks de Marraquexe são outra atração imperdível, onde se pode mergulhar no frenesim da cidade e experienciar a cultura marroquina. Estes mercados tradicionais, labirínticos e repletos de tesouros artesanais, são uma verdadeira festa para os sentidos. Desde as tapeçarias coloridas aos perfumes exóticos, passando pelas especiarias e pelas intricadas peças de metal e cerâmica, os souks oferecem uma experiência de compras única. Mas não se esqueça, aqui a negociação dos preços é uma prática cultural essencial. É importante salientar que ter dinheiro em espécie é fundamental em Marraquexe, já que são poucos os estabelecimentos que aceitam cartão. Embora seja possível efetuar pagamentos em euros em alguns locais turísticos, recomendamos a troca para a moeda local, o dirham marroquino.

Gastronomia

A gastronomia de Marraquexe é uma verdadeira festa para os sentidos, oferecendo uma explosão de sabores, aromas e cores. Os mercados vibrantes e os restaurantes tradicionais da cidade oferecem uma variedade de pratos deliciosos, desde os famosos tagines, com uma mistura de carne, peixe ou vegetais cozidos lentamente com especiarias e frutas secas, até ao couscous, um prato de semolina servido com legumes e carne ou peixe. Não podemos esquecer as chamuças, recheadas com carne, vegetais ou frutos secos e especiarias, assim como as saladas frescas e coloridas, como a salada marroquina, com tomate, pepino, cebola e pimentos. Para os aventureiros culinários, há ainda iguarias como a sopa de caracóis e os irresistíveis espetinhos de carne grelhada, conhecidos como kebabs. E para acompanhar estas delícias, nada como o tradicional chá de menta, uma bebida refrescante e aromática que é uma verdadeira instituição em Marrocos.

Sugiro uma visita ao restaurante Al Baraka, localizado mesmo junto à Praça Jemaa el-Fna, e ao Dar Essalam, também situado no centro da cidade. Ambos oferecem uma autêntica experiência gastronómica, onde poderá saborear os famosos Tajines e outros pratos típicos da região. Especialmente recomendado é uma visita ao restaurante Dar Essalam à noite, onde poderá desfrutar de um espetáculo de dança do ventre, além de outras performances como malabarismos com tabuleiros e música Gnauah.

Para os que desejam comprar especiarias e medicamentos naturais, a Herboristerie Bab Agnou é o lugar ideal. Aqui encontrará uma vasta seleção de produtos, incluindo a famosa mistura de especiarias Ras El Hanout, composta por mais de 30 ingredientes.

Monumentos

Uma viagem não está completa sem explorar os monumentos que contam a história de uma cidade. Entre esses tesouros destacam-se os Saadian Tombs e o Bahia Palace, dois locais que nos transportam para o passado glorioso de Marrocos.

Os Saadian Tombs, erguidos no século XVI, são um magnífico exemplo da arquitetura mourisca. Este complexo de sepulturas guarda os túmulos de diversos membros da dinastia saadiana, incluindo o sultão Ahmed al-Mansur. Redescobertos no início do século XX, os túmulos são agora um dos locais mais visitados de Marraquexe. Os detalhes intricados das decorações e a serenidade dos jardins que os rodeiam criam uma atmosfera solene e envolvente.

Saadian-Tombs-Marrakech-Opening-Hours-Location-and-entrance-fees5-1-1024x683 Marraquexe: Visitámos a "cidade ocre" e encontrámos uma tapeçaria de aromas, cores e tradição
Saadian Tombs. Créditos: Unsplash

Imerso nas ruas movimentadas de Marraquexe, o Bahia Palace destaca-se como um exemplo da arquitetura do século XIX. Com a sua fachada imponente e interiores ricamente decorados, este palácio é uma verdadeira obra-prima do design islâmico, transportando-nos para uma era de esplendor e sofisticação. Os pátios adornados com detalhes ornamentais, os salões revestidos de azulejos coloridos e os jardins exuberantes cativam os sentidos e contam a história do grão-vizir Ahmed ben Moussa, cuja residência não só refletia o seu poder, mas também o seu refinado gosto. A entrada para ambos os monumentos custa 70 dirhams, o que equivale a cerca de 7€.

Majestosamente erguida no horizonte de Marraquexe, a Mesquita Koutoubia representa não apenas um local de devoção religiosa, mas também um símbolo marcante da história e identidade cultural do país. Com uma torre imponente que alcança 77 metros de altura, a Koutoubia tem capacidade para acolher até 4000 fiéis, tanto no seu interior como nos espaços exteriores circundantes. As colunas que rodeiam a mesquita contam a história de uma antiga estrutura demolida por não estar perfeitamente alinhada com Meca, segundo a tradição. Embora a precisão desta narrativa possa ser questionável, ela serve como um lembrete vívido do papel central da religião na vida quotidiana de Marraquexe e do profundo respeito pela tradição que permeia a cidade.

No topo da torre, três esferas simbolizam as três religiões monoteístas presentes no país – o Islão, o Judaísmo e o Cristianismo – testemunho da rica diversidade cultural que caracteriza Marrocos. Essa diversidade estende-se à composição étnica da população, onde berberes e árabes coexistem pacificamente, cada um contribuindo com as suas tradições únicas para o rico tecido cultural de Marraquexe e de todo o país.

IMG_1590-1024x768 Marraquexe: Visitámos a "cidade ocre" e encontrámos uma tapeçaria de aromas, cores e tradição
Mesquita Koutoubia

Montanhas do Atlas e visita ao Ksar Ait Ben Haddou

Durante a nossa visita a Marraquexe, atravessámos as Montanhas do Atlas para visitarmos o Ksar Ait Ben Haddou. Estendendo-se por cerca de 2.500 quilómetros, este sistema montanhoso não só separa as regiões costeiras do país do vasto deserto do Saara, mas também serve como um refúgio natural de biodiversidade e cultura. Além da sua imponência física, as Montanhas do Atlas são o lar de uma rica diversidade de culturas, desde aldeias berberes escondidas nas suas encostas até aos mercados vibrantes que pontilham os vales verdejantes. Aqui, o tempo parece abrandar e a alma encontra refúgio na serenidade dos seus panoramas majestosos e na autenticidade das suas gentes.

Após cerca de 5 horas de viagem, percorrendo estradas bem pavimentadas, finalmente alcançámos Ksar Ait Ben Haddou, uma obra-prima arquitetónica erguida nas areias do sul de Marrocos. É uma testemunha viva dos tempos antigos e das civilizações que moldaram esta região. Esta fortaleza de barro, declarada Património Mundial pela UNESCO, destaca-se pela sua impressionante silhueta, composta por edifícios tradicionais que se aglomeram nas encostas de uma colina. As casas, erguidas com uma mistura de barro, feno e gravilha, testemunham a maestria dos antigos artesãos em adaptar-se ao clima árido e extremo da região. À medida que os raios de sol dançam sobre os seus telhados de terracota, o Ksar ganha vida, revelando um labirinto de vielas estreitas, mercados animados e casas de barro que resistiram ao teste do tempo. É como se estivéssemos a entrar num cenário de filme, imersos na beleza intemporal deste local mágico. Não é de surpreender que tenha sido escolhido como cenário para filmes como “Gladiador” e séries famosas como “Game of Thrones”.

Para quem procura explorar Ksar Ait Ben Haddou, há opções de excursões de um dia a partir de Marraquexe, com partida pela manhã e regresso ao final do dia. No entanto, para quem prefere evitar longas horas na estrada, uma alternativa é passar a noite em Ourzazate, que fica a cerca de 30 minutos de carro, e retornar a Marraquexe no dia seguinte.

  • IMG_1781-1024x768 Marraquexe: Visitámos a "cidade ocre" e encontrámos uma tapeçaria de aromas, cores e tradição
  • IMG_1805-1024x768 Marraquexe: Visitámos a "cidade ocre" e encontrámos uma tapeçaria de aromas, cores e tradição
  • IMG_1824-1024x768 Marraquexe: Visitámos a "cidade ocre" e encontrámos uma tapeçaria de aromas, cores e tradição
  • IMG_1831-1024x768 Marraquexe: Visitámos a "cidade ocre" e encontrámos uma tapeçaria de aromas, cores e tradição

Onde ficar alojado?

Se estiver à procura de um lugar agradável e bem localizado para ficar, o hotel Le Grand Morgador Menara é uma excelente escolha. Situado na tranquila área de Hivernage, este hotel é perfeito para quem quer estar perto do centro da cidade e também do Aeroporto Internacional Menara. A decoração é típica, tem um ambiente acolhedor, os quartos são amplos e as camas são confortáveis. Além disso, os hóspedes podem desfrutar de uma piscina refrescante e de um variado pequeno-almoço continental para começar bem o dia.

O hotel está estrategicamente situado no Boulevard Mohamed VI, uma das principais artérias da cidade, o que o coloca próximo de várias atrações populares, como a Medina de Marraquexe e a vibrante Praça Jemaa el-Fna. Ao explorar o Boulevard Mohamed VI, encontrará uma variedade de opções interessantes, desde hotéis de luxo até restaurantes requintados, cafés charmosos e lojas exclusivas.

Agora, se preferir um ambiente mais semelhante a um resort, o Rotana é uma excelente opção. Localizado na zona de Palmeaie, um pouco mais afastado do centro da cidade, este hotel moderno oferece uma variedade de comodidades, incluindo duas piscinas, três restaurantes, um Golf Club com 18 buracos, um Kids Club e um Spa com um ginásio bem equipado.

IMG_1910-1024x768 Marraquexe: Visitámos a "cidade ocre" e encontrámos uma tapeçaria de aromas, cores e tradição

*A jornalista viajou a convite do operador turístico Solférias.

Artigo anteriorQuake assinala Dia Internacional dos Museus com 100 entradas gratuitas (no dia 18 de maio)
Próximo artigoEstas são as 12 capitais mais baratas da Europa para visitar em 2024 (descubra em que lugar está Lisboa)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor coloque aqui o seu comentário
Por favor coloque o seu nome aqui