Olissippo Lapa Palace

Foram mandados construir por reis, condes, governadores e figuras ilustres da sociedade. Passaram por diversos proprietários, da aristocracia à burguesia, até se transformarem em hotéis. Viaje connosco por estes 10 palácios em Portugal onde pode dormir como um rei e uma rainha.

Vidago Palace Hotel

Na vila termal de Vidago há um edifício que salta à vista. Entre as árvores frondosas do Parque Natural surge o majestoso Vidago Palace Hotel, projetado pelo Rei D. Carlos I para ser uma estância terapêutica de luxo com projeção internacional. O Vidago Palace Hotel foi inaugurado a 6 de outubro de 1910, ano em que foi instaurada a Primeira República Portuguesa. Viveu anos de ouro nas décadas de 50 e 60, como palco de várias festas, mas foi já no século XX que o hotel sofreu uma profunda remodelação que permitiu a sua reabertura em 2010 com  o todo o esplendor, requinte, serviço e hospitalidade do passado. O hotel relembra a arte de viver das grandes casas aristocráticas da Belle Époque, mas com todas as comodidades do luxo moderno, dispondo de vários bares, restaurantes e infraestruturas com destaque para o spa com tratamentos termais.

Torel Palace Porto

Aberto em 2020 no coração do Porto, o Torel Palace Porto resulta da transformação de um palacete em hotel de 5 estrelas com 24 quartos e suites, um restaurante, um spa e uma piscina. O Torel Palace Porto foi cuidadosamente reformado para preservar ao máximo as caraterísticas da casa histórica original, o Palacete Campos Navarro, datado de 1861. O Palácio – típico da burguesia da época – é um dos mais impressionantes e ilustres exemplares do período da arquitetura romântica portuense. A clarabóia incrivelmente detalhada é o destaque arquitetónico deste edifício.

Pestana Palácio do Freixo


Junto ao Rio Douro e a menos de 5 quilómetros do centro do Porto, encontramos o Pestana Palácio do Freixo, classificado como Monumento Nacional em 1910. Esta obra do séc. XVIII é um exemplar da arquitetura barroca projetada por Nicolau Nasoni, um dos mais significativos arquitetos da cidade do Porto. Decorado com soberbos azulejos e frescos, este opulento palácio barroco foi restaurado e aberto ao público como hotel em 2009.

Parador Casa da Ínsua

Localizado em Penalva do Castelo, a cerca de 30 quilómetros da cidade de Viseu, o Parador Casa da Ínsua encontra-se inserido na Quinta da Ínsua, que integra a rota dos Vinhos do Dão. Mas o que nos leva esta quinta é o edifício do hotel, um palacete barroco do séc. XVIII, com recantos que nos transportam para a história dos seus proprietários e para momentos da história de Portugal e do Brasil. A Casa da Ínsua foi construída no século XVIII por Luís de Albuquerque de Mello Pereira e Cáceres, Governador e Capitão-General de Cuibá e Mato Grosso, no Brasil. É ainda possível encontrar vestígios da estadia de Luís Albuquerque no Brasil através de vários objetos, na sua maioria utensílios de caça e pesca artesanal dos índios brasileiros e armas indígenas primitivas, bem como alguns dispositivos de guerra do exército castelhano.

Palace Hotel do Bussaco

À semelhança do Vidago Palace, o Palace Hotel do Bussaco foi mandado construir pelo rei D. Carlos I, mas neste caso com a finalidade de ser pavilhão real de caça. O edifício do atual hotel, em estilo neomanuelino, está decorado com painéis de azulejos, frescos e quadros alusivos à Epopeia dos Descobrimentos portugueses, todos eles assinados por alguns dos grandes mestres das artes. Devido não só à sua arquitetura, mas também por todo o ambiente que o rodeia – por estar em plena mata Nacional do Bussaco – este verdadeiro palácio real é considerado, desde 1917, como um dos mais belos, românticos e históricos hotéis do mundo.

Hotel Palácio Estoril

O empresário Fausto de Figueiredo inspirou-se na estância turística francesa de Biarritz para fundar em 1930 o Hotel Palácio Estoril. Ao longo de várias décadas, o hotel de 5 estrelas tornou-se uma referência na hotelaria de luxo no Estoril, recebendo a realeza europeia, chefes de Estado, embaixadores e até espiões. A tal ponto, que inspirou romancistas e produtores de filmes. Um dos mais importantes foi o filme de James Bond 007 – Ao Serviço de Sua Majestade.

Tivoli Palácio de Seteais


Na romântica e cénica vila de Sintra encontramos o não menos romântico hotel Tivoli Palácio de Seteais que ocupa um edifício do século XVIII. No interior, encontramos quartos e salões palacianos decorados com mobiliário de época, tapeçarias e frescos de grande beleza, dignos de um rei ou rainha. O exterior não é menos sumptuoso, com os seus frondosos jardins bem cuidados.

Olissippo Lapa Palace

No bairro da Lapa, em Lisboa, não faltam casas apalaçadas que foram moradia da aristocracia logo após o terramoto de 1755. É o caso do edifício que alberga o hotel Olissippo Lapa Palace, transformado em palácio pelo Conde de Valenças no século XIX. Recorrendo aos melhores artistas da época, construiu uma torre para que pudesse apreciar a vista de Lisboa e do Rio Tejo. Em 1992, este palácio abriu como hotel, mas preservou sempre o seu carácter palaciano bem evidente na decoração de interiores com destaque para o mobiliário, vitrais e peças decorativas. De destacar ainda o majestoso e centenário jardim subtropical.

Palacete Chafariz D’El Rei

Quem atravessa a zona ribeirinha de Lisboa, junto ao Campo das Cebolas, não fica indiferente à arquitetura deste palacete. Talvez poucos saibam que é uma unidade hoteleira. Construído no século XVII, o Palacete Chafariz d’El Rei pertenceu aos condes de Vila Verde e Marqueses de Angeja. Apesar de ter sido alvo de diversas remodelações ao longo do tempo, foi em 1907 que adquiriu o estilo invulgar, eclético e revivalista que se mantém até hoje e, por isso, é um edifício emblemático de Lisboa, classificado como Monumento de Interesse Municipal. Esta unidade é tão exclusiva que alberga apenas seis suites que oferecem vistas para o Rio Tejo ou para as ruas de Alfama.

The One Palácio da Anunciada

Aberto em 2019, o 5 estrelas The One Palácio da Anunciada está situado na Rua das Portas de Santo Antão, paralela à Av. da Liberdade, em Lisboa. O edifício do Palácio da Anunciada data de 1533 e conserva toda a imponência do século XVI. O nome provém do seu fundador, Fernão Alves de Andrade, benfeitor do Mosteiro de Nossa Senhora da Anunciada. O palácio foi moradia de duques e condes e, por isso, emprestam o nome ao restaurante do hotel, o Condes de Ericeira, situado num dos salões nobres do palácio e com acesso direto aos jardins.

Artigo anteriorOs alojamentos da Airbnb ideais para os fãs da série ‘Bridgerton’
Próximo artigoJNcQUOI at Home tem nova carta com pratos do dia

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor coloque aqui o seu comentário
Por favor coloque o seu nome aqui